Obesidade: como combater gordura com botox


Você já deve conhecer a toxina botulínica – popularmente chamada de Botox – por causa do uso da mesma por muitas pessoas, com o objetivo de eliminar rugas do rosto. Mas recentemente, foi descoberto outros usos para esta substância.

Na Noruega, pesquisadores da Norwegian University of Science and Technology – NTNU –, como a Dra. Helene Johannessen, conseguiram resultados promissores pelo uso de Botox como uma ferramenta de eliminação de peso em experimentos com ratos. O grupo de pesquisa espera conseguir aprovação para testagem em humanos, em um futuro próximo.

Dessa forma, se investiga se o Botox poderá ou não ter aplicação como medicamento alternativo ao tratamento de casos de obesidade mórbida e a consequente prevenção de doenças do coração. Em caso positivo, o uso dessa substância eliminaria a necessidade de tratamentos ou cirurgias caros e perigosos.

As diversas experiências em ratos demonstraram que os tratamentos com uso de Botox injetado no estômago, na região do nervo vago. Isso poderia levar à uma eliminação de peso expressiva.

Quando a Dra. Johannessen injetou a substância, os ratos começaram a comer menos e apresentaram diminuição de peso entre 20 e 30%, ao final de um período de cinco semanas. Isso porque o tratamento paralisou efetivamente o nervo vago, responsável por provocar a sensação de fome e controlar a passagem do alimento através do intestino.

Assim, ao paralisar o nervo, alguns músculos do estômago também têm suas atividades reduzidas, o que, aparentemente, diminui a passagem da comida pelo estômago. Tal efeito poderá, em breve, levar a tratamentos que permitam às pessoas se sentir satisfeitas com menos alimentos e por mais tempo.

A grande esperança, portanto, é de que o uso de Botox possa se desenvolver como alternativa à cirurgia de redução de estômago. A pesquisa da Dra. Johannessen é parte do grupo de pesquisas Experimental Surgery and Pharmacology, que tem explorado tratamento alternativos aos casos de obesidade. O estudo com Botox é parte de um projeto europeu, chamado Full4Health.

O Botox é uma toxina que, quando ingerida via alimentos contaminados, pode levar à paralisia e morte. Hoje em dia, a substância apresenta um uso intenso até mesmo em distonias e espasmos. Se o grupo de pesquisadores obtiverem sucesso na comprovação de resultados das experiências, um imenso número de pessoas, ao redor do mundo, poderá desfrutar de um estilo de vida bem mais saudável e com menos peso.

Em entrevista ao canal de TV Norwegian Broadcasting Corporation – NRK –, a Dra. Johannessen afirma estar pronta para dar início à fase de testes clínicos em humanos, necessitando apenas da autorização oficial das autoridades em ética médica da Noruega.

“Em uma fase inicial convidaremos pacientes que forem candidatos à cirurgia contra obesidade, para que se voluntariem a passar pelo tratamento alternativo, em substituição.

Vale destacar que a obesidade é uma calamidade pública em escala mundial. Isso porque, estar acima do peso pode levar a diversas doenças, como diabete e cardiopatias como o infarto do miocárdio. A Organização Mundial de Saúde estima que a obesidade seja responsável por entre 2 a 8 % dos custos de planos de saúde e 10 a 13% de mortes em diversos países da Europa. Assustador, não é mesmo? Essa é a razão pela qual esses estudos feitos na Noruega serem tão importantes e trazem novas esperanças no tratamento contra obesidade.

E você, o que acha dos tratamentos alternativos à obesidade? Dê sua opinião para a gente nos comentários abaixo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário