HIV pode causar danos ao coração

Qual é a relação da Aids com o coração? Esta pergunta foi respondida por pesquisadores espanhóis durante o encontro anual Euroecho-Imaging 2013, na cidade de Istambul, Turquia. De acordo com eles, o HIV pode causar danos terríveis ao coração por ser a principal causa de doença cardíaca estrutural. Isso conclui que os pacientes com Aids tem mais chances de sofrer de um problema cardíaco do que as pessoas que não contraíram o vírus.

Pesquisa
Para chegar a esta conclusão, foi realizado um estudo onde os pesquisadores analisaram dados de 65 soropositivos com mais de 45 anos. Todos disseram sentir falta de ar (dispnéia), classificada como maior do que a classe II na escala da New York Heart Association (NYHA). De acordo com a Heart Failure Society of America, a escala NYHA é usada para que os médicos possam determinar a fase de insuficiência cardíaca em pacientes, além de enfocar os sintomas em relação às suas atividades diárias e qualidade de vida.

Resultados
A pesquisa revelou que os pacientes infectados pelo HIV com carga viral elevada corriam um risco maior de adquirir a doença cardíaca estrutural. Os resultados nos testes com os portadores de HIV foram baseados na contagem de células CD4 (células T), levando em conta a susceptibilidade para doenças oportunistas e a sua carga viral no sangue, testada por determinação do número de partículas de vírus, ou cópias, dentro de um mililitro de sangue.

Os estudos concluíram que praticamente metade dos pacientes (47%) apresentou algum tipo de doença cardíaca estrutural com sintomas de hipertrofia ventricular esquerda, disfunção ventricular esquerda, hipertensão pulmonar e sinais de falência do ventrículo direito.

Dispnéia
A alta incidência de problemas cardíacos no estudo, beirando os 50%, levou os pesquisadores a concluírem que todos os pacientes com dispnéia infectados pelo HIV devem se submeter a um ecocardiograma transtorácico para confirmar se há ou não doença cardíaca estrutural.

Perigo e Tratamento
A organização SIDA.Gov destacou a importância da saúde cardíaca e reconheceu que alguns medicamentos para o HIV pode aumentar o risco de um problema no coração, aumentando os níveis de colesterol ou causando resistência à insulina.

Segundo os pesquisadores, quanto mais cedo detectar problemas cardíacos em pacientes com HIV, com o uso de uma ferramenta de diagnóstico simples, como o ecocardiograma, será mais fácil realizar o tratamento ainda na fase precoce da lesão cardíaca e melhorar o seu prognóstico. Os pacientes com uma carga viral detectável no sangue ou doença cardíaca estrutural devem ser acompanhados mais de perto por um cardiologista e um médico especialista do HIV.

Doenças cardíacas matam mais do que a Aids
Um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro revelou que os portadores do vírus HIV morrem mais de outras doenças como infarto, diabetes e câncer do que de causas que são diretamente ligadas à Aids. Outro dado relevante é que existe um aumento desproporcional de doenças do coração e diabetes como causa de morte em pessoas com HIV em relação àqueles que não contraíram o vírus.

Mas ainda de acordo com os estudos, as mortes por Aids registraram uma queda entre 1996 (quando o Brasil se tornou o primeiro país em desenvolvimento a fornecer acesso universal aos antirretrovirais) e 1999. De lá para cá o índice se mantém estável.

No entanto a morte de soropositivos em decorrência de outras doenças como as do coração, câncer, diabetes, fígado ou rins registrou crescimento de quase 8% ao ano. Entre as pessoas que não são portadoras do vírus, esse aumento não chegou a 3%. As doenças cardiovasculares são as que mais aumentaram entre os soropositivos.



O que você achou desta descoberta? Compartilhe sua opinião com a gente nos comentários abaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário